16 de Maio de 2017 | 11h03

Aprenda deixar sua feijoada mais "light" com 6 dicas simples e práticas

Conhecida na maior parte das regiões do Brasil, a feijoada é certamente um dos pratos típicos mais amados do país, e não por acaso


Whatsapp

Com sabor inconfundível, a feijoada é preparada à base de feijão e em sua versão tradicional traz consigo uma grande variedade de cortes de carne suína, sendo servida com couve e laranja como acompanhamentos.

O alimento ainda é apontado como uma rica fonte de nutrientes, capaz de oferecer elementos como ácido fólico, cálcio e ferro, sendo também extremamente calórico. Deixá-la mais light, no entanto, é possível, com algumas dicas simples e práticas. A seguir você confere uma lista de sugestões. Veja!

Couve

A couve é um alimento rico em nutrientes e bastante recomendado a quem busca um estilo de vida saudável. A forma menos calórica para o consumo, no entanto, é in natura, o que nem sempre agrada o paladar dos mais exigentes.

Diante disso, uma alternativa seria preparar as folhas no vapor, já que assim a maioria das propriedades se mantém. Para deixar o sabor mais agradável, a dica é usar ervas frescas, tais como manjericão e alecrim. Isso é importante porque o preparo refogado tende a demandar óleo e manteiga, o que torna o alimento ainda mais calórico.

Bacon

O bacon é um dos alimentos preferidos de muitos brasileiros, mas, a verdade é que ele possui uma grande quantidade de gordura, além de 55 kcal a cada fatia fina de 10 gramas. Isso significa que, por mais que seja saboroso, ele é um alimento extremamente calórico, usado muitas vezes para dar sabor ao feijão.

Para quem não quer "engordar" o prato nem abrir mão de um sabor agradável, porém, existem algumas opções. Uma delas, por exemplo, é abandonar o bacon e em vez disso usar cubinhos de peito de peru ou ricota defumada. Agora se a carne de porco for indispensável, uma boa saída é usar a costelinha, retirando dela ao menos a gordura aparente.

Carnes

Além da costelinha, outras partes do porco naturalmente precisam ser usadas em uma boa feijoada. Mas ninguém disse que a carne de porco não pode ser menos calórica. A dica nesse caso é não fritar os pedaços da carne, pois isso evita um aumento de caloria e gordura.

Em vez disso, é só deixar a carne de molho na água e depois refogar o alimento com um fio de óleo de canola, por exemplo. Não obstante, também vale a pena apostar em partes não tão gordas, evitando assim pedaços como costela, rabo, joelho e orelha, que estão entre os mais gordos.

Feijão

O feijão é certamente o item principal da feijoada, como aliás, o próprio nome do prato sugere. Mas não tem que ser qualquer feijão. É possível reduzir as calorias usando somente algumas estratégias.

A primeira delas é, em vez de usar as partes do porco para engrossar o caldo durante o cozimento do feijão, optar por bater parte do feijão no liquidificador, obtendo assim uma pasta. Outra dica é colocar uma colher rasa de farinha de trigo e um copo de água. Essas duas medidas ajudam a reduzir a caloria que seria a da carne usada no cozimento.

Sal

Como muitas das carnes usadas no preparo da feijoada já possuem uma grande quantidade de sódio, o ideal é evitar a adição de sal na refeição. Isso porque o consumo exagerado pode causar séries problemas na pressão arterial. Para dar sabor, o melhor é adicionar ervas naturais no lugar do sal.

Arroz

O arroz branco que acompanha a feijoada, possui uma grande quantidade de carboidratos e é facilmente absorvido pelo organismo, o que traz uma sensação de saciedade.

Diante disso, a recomendação de especialistas vai no sentido do uso de arroz integral. Isso porque, por manter a casca, esse tipo de arroz preserva uma quantidade maior de nutrientes e ajuda a prolongar a sensação de saciedade.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.


veja também